Visualizações de páginas da semana passada

quinta-feira, 8 de março de 2012

Silas Malafaia é processado por discurso de ódio a homossexuais e desafia a Justiça


Silas Malafaia é processado por discurso de ódio a homossexuais e desafia a Justiça

O pastor Silas Malafaia, da Igreja evangélica Assembléia de Deus, está sendo processado pelo Ministério Público de São Paulo após o procurador de Justiça, Jefferson Aparecido Dias, aceitar pedido da ABLGT em que o pastor faz um discurso de ódio aos homossexuais durante programa exibido pela TV Bandeirantes em julho de 2011.


O pastor Silas Malafaia

Na ocasião, Malafaia falava sobre a PLC 122/2006 que prevê a criminalização da homofobia, em que pronunciou as seguintes frases: “Os caras na Parada Gay ridicularizaram símbolos da Igreja Católica e ninguém fala nada. É para a Igreja Católica ’entrar de pau’ em cima desses caras, sabe? ’Baixar o porrete’ em cima pra esses caras aprender. É uma vergonha”. Fora isso, o pastor também criticou o uso de santos católicos durante a Parada Gay e sugeriu a Igreja Católica processar os organizadores do evento.

Para Jefferson Aparecido Dias, mais do que expressar opinião, o discurso do pastor é de ódio e solicita a retratação do mesmo com duração de, no mínimo, o dobro do tempo utilizado nos comentários. O procurador também pede que o pastor não faça mais discursos que possam ser considerados homofóbicos e diz que as gírias ‘entrar de pau’ e ‘baixar o porrete’ têm claro conteúdo homofóbico, incitando a violência contra os homossexuais.

Ao acatar a ação da ABGLT, Aparecido Dias foi vítima de forte pressão pelos evangélicos. Segundo ele, a pedido do pastor Silas Malafaia, seus fiéis lhe enviaram milhares de e-mails durante o período do inquérito. O procurador questiona também a ‘obediência’ dos fiéis de Malafaia a ele, temendo que os mesmos possam seguir a orientação subentendida de agressão aos homossexuais: “Da mesma forma que seus seguidores atenderam prontamente o seu apelo para o envio de tais e-mails, o que poderá acontecer se eles decidirem, literalmente, "entrar de pau" ou "baixar o porrete" em homossexuais?”.

Ao ser informado da decisão do Ministério Público Federal, Malafaia disse que a decisão é “absurda” e afirmou que não pretende se retratar, além de acusar o movimento LGBT de manipular o seu discurso. “Em hipótese alguma vou pedir retratação, pois isso é um absurdo. Os gays manipularam a minha fala para me incriminar, e sou eu que tenho de pedir retratação? Isto deve ser uma brincadeira”, acrescentando que querem “rasgar” a Constituição para beneficiar os homossexuais e que diz que pretende ir até as últimas consequências na Justiça.

A TV Bandeirantes, emissora que comercializa espaços para igrejas evangélicas em sua grade, e transmitiu o discurso considerado homofóbico no programa “Vitória em Cristo”, não quis se pronunciar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sejam bem vindo adicione aqui seus comentario .NÃO aceitamos ofenças,racismo,preconceito.ou algo do genero.